Quem somos

Somos Suprapartidários e Plurais

Exercitamos a pluralidade no debate acadêmico e político. A rede é também multidisciplinar e suprapartidária. Nossas ações estão desprovidas de quaisquer motivações ideológicas e partidárias. Estamos tentando pavimentar o difícil percurso de construir uma frente de debates aberta e democrática voltada para o intercâmbio de ideias sobre a superação do secular atraso social do Brasil, reunindo e consolidando ideias, propostas e alianças no campo progressista. A Plataforma convive com a pluralidade de ideias políticas e acadêmicas e não exerce veto de nenhuma natureza.

Contamos com cerca de 300 professores, pesquisadores, lideranças dos movimentos sociais. Reunimos alguns dos mais renomados especialistas em políticas públicas do campo progressista. São profissionais que atuam em mais de uma centena de universidades, centros de pesquisa, órgãos do governo, entidades da sociedade civil e núcleos do movimento social. Também temos a honra de contar com a contribuição de dezenas de destacados especialistas internacionais.

A adesão à rede é voluntária e os critérios que presidem a inclusão são a excelência acadêmica e a identificação com o projeto. A decisão de intervir no debate e a responsabilidade pelo conteúdo dos artigos são exclusivamente dos autores-membros.

Nesses dois anos de existência temos procurado contribuir para um intercâmbio altamente qualificado de ideias. Não cultuamos o pensamento único. Em muitos casos, prevalece a divergência sobre temas diversos. Essa virtude abre espaço para o contraditório. A elaboração de réplicas e tréplicas é sempre incentivada. A apresentação do contraditório está aberta a todos os colegas do meio acadêmico, mesmo daqueles que não fazem parte da rede.

Nosso DNA

Somos plurais e suprapartidários, mas temos um DNA: não nos alinhamos com o poder econômico e suas instituições financeiras, educacionais e midiáticas. Nossa atuação visa a fortalecer alianças com os movimentos sociais e organizações da sociedade civil, em sua luta por uma sociedade mais justa e inclusiva.

Buscamos construir pontes de “mão dupla”, para que os especialistas reduzam seu isolamento e superem a visão corporativa na forma de produção, atualizem suas agendas de pesquisa e aprendam com o cidadão comum e seu conhecimento de como enfrentar esta realidade. Sempre acreditamos que a unidade deve ser buscada na articulação da produção científica com a prática política de outros agentes sociais – única via para que se superem, de forma orgânica, os limites da atividade dos intelectuais.

Muitos de nossos parceiros são entidades da sociedade civil e do movimento social que exercem papel decisivo de pressão popular e democrática para evitar retrocessos e ampliar a cidadania política e social.

A Natureza da Parceria

A Plataforma não tem vínculo institucional com nenhum dos chamados “parceiros”. A “parceria” se dá unicamente pela adesão voluntária de profissionais das diversas instituições à rede. Trocamos conteúdos, nos agregamos em torno de projetos comuns e divulgamos artigos e documentos de interesse recíproco. O trabalho cooperativo se dá em torno de projetos específicos, como a realização de seminários e a organização de livros.

Análises críticas à atuação governamental

Não alienamos o direito e o dever ético de analisar criticamente as ações de qualquer governo.

Nossos Mestres e Patronos

Procuramos seguir os ensinamentos de pensadores que interpretaram o Brasil de forma original e crítica como Caio Prado Junior, Darcy Ribeiro, Florestan Fernandes, Gilberto Freyre, Otávio Ianni e Sérgio Buarque de Holanda, dentre outros.

No campo econômico, reverenciamos autores como Aníbal Pinto, Celso Furtado, Ignácio Rangel e Raul Prebisch, cujo esforço intelectual promoveu uma profunda revolução na história do pensamento econômico e no ensino de economia no Brasil.

Temos respeito pelo legado de intelectuais de diferentes escolas de pensamento como, por exemplo, Anísio Teixeira, Carlos Lessa, Fernando de Azevedo, João Manuel Cardoso de Mello, Paulo Freire, Vilmar Faria e Wilson Cano.

Homenageamos Maria da Conceição Tavares, Luiz Gonzaga Belluzzo e Aloisio Teixeira (em memória) como patronos da Plataforma . Em vida, Aloisio Teixeira participou das reuniões iniciais e foi um dos maiores incentivadores da constituição da rede.

Nossos Objetivos

A Plataforma se pauta em quatro objetivos principais.

  1. Contribuir para a construção coletiva de um Projeto Nacional de Desenvolvimento

O primeiro objetivo é contribuir para a construção coletiva de um projeto nacional de desenvolvimento que incorpore as múltiplas faces da dimensão social. Reconhecemos que nos últimos anos foram engendradas alternativas ao modelo econômico que vinha sendo implantado desde 1990; essas alternativas resultaram na inequívoca melhoria dos padrões de vida da população (Leia aqui).

Não obstante, os avanços recentes não apagaram as marcas profundas das desigualdades sociais que têm raízes históricas herdadas do passado escravocrata, do caráter específico do capitalismo tardio, da curta experiência democrática do século 20.

Entendemos que o caminho para um país mais justo requer que se enfrentem todas as faces da desigualdade social. Isso exige a formulação de um novo projeto de transformação na perspectiva do desenvolvimento, o que coloca novos desafios ao pensamento estruturalista: além dos instrumentos econômicos tradicionais, o desenvolvimento também requer ações voltadas para promover uma sociedade mais igualitária pela via da universalização da cidadania social.

  1. Articular as dimensões econômica e social do desenvolvimento

O segundo objetivo da rede Plataforma Política Social é enfrentar o desafio metodológico de analisar a política social brasileira como um todo, pelo conjunto dos setores que a compõem, e suas relações com a economia e a política. Trata-se de tarefa complexa, dado que a nossa tradição analítica é notoriamente marcada por estudos de corte setorial.

Para atuar neste sentido, nos dois anos de existência da rede, publicamos mais de 80 boletins semanais divulgando artigos, livros, textos para discussão, seminários e entrevistas realizadas por membros da rede ou instituições parceiras.

  1. Contribuir para mitigar a fragmentação do campo progressista

O terceiro objetivo da rede é contribuir para mitigar a fragmentação da luta política do campo progressista. Com a hegemonia dos mercados desregulados, a sociedade perdeu capacidade de conter o ímpeto desagregador das forças de mercado. Existe clara assimetria na representação política, em favor dos interesses do poder econômico. A esfera pública foi esvaziada e prevalecem os valores do individualismo e da meritocracia. Os Estados Nacionais foram enfraquecidos e perderam a capacidade de coordenar projetos de transformação. Forjaram-se cultura e ideologia retrógradas em relação ao desenvolvimento. Esse quadro mais geral tem influenciado a ação dos movimentos sociais, partidos políticos e sindicatos do campo progressista.

O papel que se espera dos partidos políticos progressistas como instituições articuladoras das demandas da sociedade numa perspectiva de transformação foi esvaziado nas últimas décadas. O ataque ao poder dos sindicatos, protagonista das transformações sociais no capitalismo, foi um dos focos da investida neoliberal. Esse enredo interfere na ação do movimento social em seu conjunto. Como se sabe, é da natureza destas mobilizações setoriais tratar de temas também setoriais ou específicos. Mas na ausência da ação mobilizadora dos partidos, observa-se a fragmentação das pautas de luta política em torno de questões muito específicas. Em geral, perdeu-se a perspectiva de que pouco poderá ser feito em termos setoriais na ausência de um projeto mais amplo de transformação.

Tampouco a academia escapa desta lógica. Em relação ao passado, sobretudo nos anos de 1950 a 1980, são poucos os trabalhos que debatem as questões nacionais na perspectiva do desenvolvimento. O tema é complexo e reflete, em alguma medida, os valores do individualismo, da meritocracia e da produtividade que infelizmente foram enraizados no seio das universidades. 

  1. Intervir no Debate de Ideias e Valores em Nível Nacional

O quarto objetivo da rede é intervir criticamente no debate sobre a política social brasileira que, usualmente, é pautado pelas forças do mercado. A iniciativa para a criação da rede partiu da constatação de que o campo progressista não tem espaços nos grande meios de comunicação para contribuir para o debate democrático de ideias. Em função desses fatos, diversos autores-membros exerceram o seu legítimo direito ao contraditório. Todos os artigos publicados pela Plataforma Política Social estão embasados em dados estatísticos, na experiência acumulada e na excelência acadêmica dos autores.

A razão do nosso entusiasmo

A Plataforma Política Social tem como principais canais de comunicação seu site (www.plataformopolíticasocial.com), uma revista eletrônica que se encontra na 7ª edição (www.revistapolíticasocialedesenvolvimento.com), um boletim semanal (enviado a 60 mil pessoas) e a rede social (https://www.facebook.com/PlataformaPoliticaSocial) onde se dá o relacionamento direto e ativo com nosso público. Nesse caso, temos mais de 18 mil seguidores, número que permite um alcance semanal que varia de 100 a 500 mil pessoas. A média diária de usuários que se envolvem de algum modo com os conteúdos da Plataforma varia de 12 a 40 mil usuários.

A razão do nosso entusiasmo é que a faixa etária predominante é a de jovens e jovens adultos de 18 a 34 anos (71% dos nossos leitores) espalhados por todos os estados brasileiros e em mais de 40 países. Em geral, são estudantes de graduação e pós-graduação em economia, sociologia, ciência política, saúde pública, assistência social, habitação e urbanismo e educação.

Esses dados comprovam que a Plataforma tem-se consolidado como um meio de compartilhamento de conhecimento no campo do debate democrático de ideias voltado para a construção de um país melhor, com a juventude das universidades, dos movimentos sociais, do serviço público e das diversas entidades da sociedade civil.

Em relação às críticas pessoais esclareço que meu único patrimônio é a bagagem intelectual e a capacidade de reflexão crítica acumuladas em 30 anos como professor e pesquisador do Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas, onde sempre procurei debater os desafios para a construção de um país mais justo. Não sou filiado a nenhum partido político, nunca mudei de lado em minhas convicções e não há um único fato na minha trajetória que possa ser visto como apequenando a Unicamp, que continua sendo uma instituição de formação de pesquisadores e pensadores do maior gabarito, cumprindo sua missão original.

PLATAFORMA POLÍTICA SOCIAL
Coordenador – Eduardo Fagnani
Jornalista – Davi Carvalho – MTB: 58.724
Comunicação e multimeios – João Miranda e Thomas Conti
Site: http://www.plataformapoliticasocial.com.br
Contato: plataformapoliticasocial@gmail.com

PATRONOS
Aloísio Teixeira (em memória), Luiz Gonzaga de Mello Belluzzo e Maria da Conceição Tavares

PARCEIROS 
Ação Educativa;
ActionAid;
Articulação de Mulheres Brasileiras (AMB);
Associação Brasileira de ONGs (ABONG);
Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco);
Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil (ANFIP);
Associação Nacional dos Transportes Públicos (ANTP);
Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social(BNDES);
Bergstraesser Institute ( Alemanha);
Cambridge University (Inglaterra);
Central Única dos Trabalhadores (CUT);
Centro Brasileiro de Estudos de Saúde (CEBES);
Centro de Estudos de Conjuntura e Política Econômica (CECON/(IE/UNICAMP);
Centro de Estudos de Cultura Contemporânea (CEDEC);
Centro de Estudos de Desenvolvimento Econômico (CEDE/IE/UNICAMP);
Centro de Estudos de Relações Econômicas Internacionais (CERI/IE/UNICAMP);
Centro de Estudos Sindicais e de Economia do Trabalho (CESIT/IE/UNICAMP);
Centro de Estudos sobre Desigualdade e Desenvolvimento (CEDE/UFF);
Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE);
Centro Feminista de Estudos e Assessoria (CFEMEA);
Centro Interdisciplinario para el Estudio de Políticas Públicas (CIEPP/Argentina);
Centro Internacional Celso Furtado de Políticas para o Desenvolvimento;
Cidade do Conhecimento (USP);
Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL);
Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro da CUT (Contraf-CUT);
Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES);
Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE);
Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas (EBAPE/FGV);
Escola de Magistratura Federal do Paraná;
Escola de Sociologia e Política de São Paulo;
Escola do Legislativo do Estado de Minas Gerais;
Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP/FIOCRUZ);
Escola Nacional de Saúde Pública (Lisboa);
Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU/USP);
Faculdade de Direito (USP);
Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra;
Faculdade de Educação (Unicamp);
Faculdade de Medicina da UFMG;
Faculdade de Medicina da USP;
Faculdade de Saúde Pública da USP;
Fórum Mudanças Climáticas e Justiça Social;
Fórum Nacional pelo Saneamento Ambiental (FNSA);
Fundação do Desenvolvimento Administrativo (FUNDAP);
Fundação Economia de Campinas (FACAMP);
Fundação Friedrich Ebert;
Fundação Getúlio Vargas (FGV);
Fundação Heinrich Böll do Brasil;
Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz);
Fundação Perseu Abramo;
Grito dos Excluídos (CNBB);
Grupo de Estudos e Pesquisas em Seguridade Social e Trabalho (GESST/UNB);
Institut Des Ameriques (França);
Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas (Ibase);
Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE);
Instituto de Economia da UNICAMP;
Instituto de Estudos em Saúde Coletiva (IESC/UFRJ);
Instituto de Estudos Sociais e Políticos (IESP/UERJ);
Instituto de Estudos Socioeconômicos (INESC);
Instituto de Medicina Social (IMS/UERJ);
Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA);
Instituto Humanitas Unisinos;
Laboratório de Estudos e Pesquisas em Políticas (Laept/UFPB);
Laboratório de Habitação e Assentamentos Urbanos (LabHab/FAU/USP);
Le Monde Diplomatique Brasil;
Ministério da Previdência Social (MPS);
Ministério da Saúde;
Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS);
Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPO);
Movimento dos Trabalhadores sem Teto (MST);
Movimento Nacional de Direitos Humanos;
Núcleo de Avaliação de Políticas (NAP/UFF);
Núcleo de Economia Industrial e da Tecnologia (NEIT/IE/UNICAMP);
Núcleo de Estudo de Políticas Públicas (NEPP/UNICAMP);
Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Seguridade e Assistência Social (NEPSAS/PUC-SP);
Núcleo de História Econômica (NHE/IE/UNICAMP);
Pastoral da AIDS (CNBB);
Pontifícia Universidade Católica (PUC-RGS);
Pontifícia Universidade Católica (PUC-RJ);
Pontifícia Universidade Católica (PUC-SP);
Prefeitura de São Paulo;
Procuradoria Geral do Estado (São Paulo);
Programa de Pós-Graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade (CPDA/UFRJ);
Programa de Pós-Graduação em Urbanismo (PROURB/FAU-UFRJ);
Rede Desenvolvimentista (IE-UNICAMP);
Sindicato Nacional dos Auditores-Fiscais da Receita Federal do Brasil (SINDIFISCO NACIONAL);
The New School for Social Research (N.York);
Universidade de Berlin (Alemanha);
Universidade de Brasília (UNB);
Universidade de Newcastle (Inglaterra);
Universidade de São Paulo (USP);
Universidade Estadual de Campinas;
Universidade Estadual de Londrina;
Universidade Estadual de Ponta Grossa;
Universidade Estadual Paulista “Julio de Mesquita Filho” (UNESP);
Universidade Federal de Juíz de Fora (UFJF);
Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG);
Universidade Federal de São Carlos (UFSC);
Universidade Federal de São Paulo (Unifesp);
Universidade Federal de Uberlândia (UFUB);
Universidade Federal do ABC;
Universidade Federal do Paraná (UFPR);
Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ);
Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFFRRJ);
Universidade Federalda Bahia (UFBA);
Universidade Livre de Berlim (Alemanha);
University Lecturer in the Political Economy of Latin America (University of Oxford).

APOIO

FES LOGO_20mm.

MEMBROS DA PLATAFORMA POLÍTICA SOCIAL

Até o momento contamos com a adesão de mais de duas centenas de pesquisadores e profissionais em políticas públicas, com o foco nas políticas sociais.

 

Ademir Figueiredo (DIEESE)
Adriana Nunes Ferreira (IE-Unicamp)
Adriano Campolina Soares (ActionAid)
Adriano Biava – (FEA/USP)
Ailton Brasiliense (ANTP)
Aldaíza Sposati (NEPSAS/PUCSP)
Alessandro Ortuso (FACAMP)
Alexandre Barbosa (USP)
Alexandre Gori Maia (IE/UNICAMP)
Alfredo Saad Filho (London University)
Allen Habert (CNTU)
Aloizio Barroso (Fundação Grabois)
Álvaro Sólon de França (ANFIP)
Amelia Cohn (CEDEC e UNISANTOS)
Amilton José Moretto (CESIT/IE-UNICAMP)
Amir Khair (Consultor)
Ana Claudia Teixeira
Ana Cleusa Serra Mesquita (IPEA)
Ana Fonseca (UNICAMP)
Ana Lucia Britto (PROURB/FAU/UFRJ)
Ana Luísa Viana (Faculdade de Saúde Pública da USP)
Ana Maria Costa (CEBES)
Ana Paula Pegoraro (UNICAMP)
Ana Starling (MPO)
Anderson Campos (CUT)
Andre Calixtre (IPEA)
André Martins Biancareli (CECON/IE-UNICAMP)
Andre Nassif (UFF e BNDES)
André Simões (IBGE)
André Vitor Singer (USP)
Ângela Cotta Ferreira Gomes (CDES)
Anna Peliano (Ipea)
Anselmo Santos (CESIT/IE-UNICAMP)
Antônio Carlos Filgueira Galvão (CGEE)
Antonio Carlos Macedo e Silva (IE-UNICAMP)
Antônio Prado (Cepal)
Antônio Tadeu Ribeiro de Oliveira (IBGE)
Aristides Monteiro Neto (IPEA)
Armando De Negri (ABRASCO)
Arno Augustim
Artur Henrique (CUT)
Asa Cristina Laurell
Barbara Cobo (IBGE)
Barbara Fritz (Universidade de Berlin)
Beatriz Carbone (Universidade de Berlin)
Beatriz Heredia (IFCS/UFRJ)
Berenice Rojas Couto (PUC-RS)
Bianca Borges Silva Leandro (UFRJ)
Brancolina Ferreira (IPEA)
Bruno de Conti (UNICAMP)
Camila Gripp (The New School for Social)
Cândido Grzybowski (IBASE)
Carlos Alonso Barbosa de Oliveira (CESIT/IE-UNICAMP)
Carlos Antônio Brandão (UFRRJ)
Carlos Gadelha (FIOCRUZ/M.SAUDE)
Carlos Medeiros (UFRJ)
Carlos Ocke (IPEA)
Carlos Pinkusfeld (UFRJ)
Carlos Salas (IE/UNICAMP)
Ceci Jurua
Celecino de Carvalho Filho
Celia Lessa Kerstenetzky (CEDE/UFF)
Celio Hiratuka (UNICAMP)
Ceres Zenaide Barbosa Cavalcanti (CGEE)
Claudia Magalhães Eloy (LabHab,FAU-USP)
Claudia Rejane de Lima (CUT)
Claudio S. Dedecca (IE/UNICAMP)
Claudio Salm (UFRJ)
Cláudio Schuller Maciel (CEDE/IE-UNICAMP)
Clemente Ganz Lúcio (DIEESE)
Clovis Scherer (DIEESE)
Constantino Sakellarides (ENSP de Lisboa)
Cristiani Vieira Machado (Daps/Ensp/Fiocruz)
Dália Maimom (UFRJ)
Daniel Arias Vazquez (Universidade Federal de São Paulo – Unifesp)
Daniela Prates (UNICAMP)
Daniela Savi Geremia (IMS/UERJ)
Darlene Aparecida Testa (CUT)
Davi Carvalho (Plataforma Política Social)
Daví José Nardy Antunes (IE-UNICAMP / Facamp)
David Kupfer (UFRJ)
Dawid Danilo Bartelt (Fundação Heinrich Böll do Brasil)
Denis Maracci (FACAMP)
Denise Lobato Gentil (UFRJ)
Denise Motta Dau (Ministério da Saúde)
Denise Ratmann Arruda Colin (MDS)
Didice Godinho Delgado (Assessora Sindical)
Diego Sánchez (University Lecturer in the Political Economy of Latin America /University of Oxford)
Diogo Coutinho (Faculdade de Direito da USP)
Dulci Paldonfi (CPDOC/FGV)
Éder Luiz Martins (FACAMP)
Edson Aparecido da Silva (FNSA)
Eduardo Fagnani (CESIT/IE-UNICAMP)
Eduardo Mariutti (UNICAMP)
Eduardo Salomao Condé (UFJF)
Eli Diniz (IESP/UERJ)
Eli Iola Gurgel Andrade (Faculdade de Medicina da UFMG)
Elias Khalil Jabbour (UERJ)
Elisio Estanque (Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra)
Elizabeth Barros (IPEA)
Enid Rocha (IPEA)
Erminia Maricato (FAU/USP)
Ernani Torres (UFRJ)
Ester Bemerguy (MPO)
Ester Dweck (MPO)
Eugênia Troncoso Leone (CESIT/IE-UNICAMP)
Evilásio Salvador (UNB)
Fabio Domingues Waltenberg (CEDE/ UFF)
Fabrício Augusto Oliveira (Escola do Legislativo do Estado de MG)
Fátima Nascimento (ELO Ligação e Organização)
Fernando Gaiger (IPEA)
Fernando Junqueira (DIEESE)
Fernando Nogueira da Costa (UNICAMP)
Fernando Resende (FGV)
Fernando Rugitsky (FEA –USP)
Fernando Sarti (IE/UNICAMP)
Flávio Tonelli Vaz (Câmara dos Deputados)
Flavia Vinhães (IBGE)
Floriano José Martins (ANFIP)
Francisco Menezes (Ibase)
Franklin Serrano (UFRJ)
Frederico Gonzaga Jayme Jr (Cedeplar/UFMJ)
Frederico M. Mazzucchelli (IE/UNICAMP)
Frei Jose Bernardi (PASTORAL DA AIDS)
Frei Luiz Carlos Lunardi (PASTORAL DA AIDS)
Gabriela Lotta (UFABC)
Gabriela Rizzo (UFRJ)
Gastão Wagner (UNICAMP)
Geraldo Di Giovanni (UNICAMP)
Gerardo Cerdas Veja (Grito dos Excluídos)
Gerson Gomes (CGEE)
Gilberto Bercovici (Faculdade de Direiro USP)
Gilberto Maringoni (IPEA)
Gilson Carvalho (Medico Sanitarista e pediatra) (em memória)
Gilson Schwartz (Cidade do Conhecimento/USP)
Giuliano Oliveira (CERI/IE-UNICAMP)
Gonzalo Berron (Fundação Friedrich Ebert)
Göran Therborn (Cambridge University)
Grazielle Custodio David (INESC)
Guacira Cesar de Oliveira (CFEMEA e AMB)
Guilherme Costa Delgado (UFUB)
Guilherme Leite Gonçalves (UERJ)
Guilherme Mello (IE/UNICAMP)
Hugo Correa (IE/UNICAMP)
Hugo Paulo Nascimento Leitão Vieira ( CGEE)
Humberto Miranda do Nascimento (CEDE/IE-UNICAMP)
Ialê Falleiros (ENSP/Fiocruz)
Ingrdd Wehr – (Arnold Bergstraesser Institute, Freiburg)
Isabela Santos (ENSP e CEBES)
Iole Ilíada (Fundação Perseu Abramo)
Ivanete Boschetti (GESST/UNB)
Ivanisa Teitelroit Martins
Ivany R. Pino (FE/Unicamp)
Ivo Poleto (Fórum Mudanças Climáticas e Justiça Social)
Jairnilson Silva Paim (UFBA)
Jandira Feghali (Deputada Federal PCdoB/RJ)
Joana Biava (DIEESE)
João Paulo (MST)
João Pedro Werneck Viana (PCdoB/RJ)
João Saboia (UFRJ)
João Sette Whitaker Ferreira (FAUUSP)
João Sicsú (UFRJ)
Jorge Abrahão de Castro (IPEA)
Jorge Mattoso (Unicamp)
Jose Antonio Moroni (INESC)
Jose Antonio Savaris (Escola de Magistratura Federal o Paraná)
José Antonio Sestelo (Saúde Coletiva – UFRJ)
José Aparecido Ribeiro (IPEA)
Jose Carlos Braga (CERI/ IE-UNICAMP).
José Celso Pereira Cardoso Júnior (IPEA)
Jose Dari Krein (CESIT/IE-UNICAMP)
José Eduardo Cassiolato (UFRJ)
José Esteban Castro (Universidade de Newcastle, Inglaterra)
José Geraldo Portugal (PUC-SP)
José Gomes Temporão (ISAGS)
Jose Mauricio Domingues (IESP/UERJ)
Jose Ricardo Barbosa Gonçalves (IE/UNICAMP)
José Ricardo Ramalho (UFRJ)
Jose Roberto Afonso (UFRJ)
José Valente Chaves (IPEA)
Jose Viegas Filho (Itamarati)
Juan Carlos Feres (CEPAL)
Juarez Guimarães
Juliana Cajueiro (FACAMP)
Juliano Goularti (IE/UNICAMP)
Juliano Sander Musse (SINDIFISCO NACIONAL)
Julia De Medeiros Braga (UFF)
Júlio Sergio Gomes de Almeida (IE/UNICAMP)
Karina Leitão (labhab/FAU-USP)
Lais Costa (FIOCRUZ)
Ladislau Dowbor (PUC SP)
Laura de Carvalho (FEA-USP)
Laura Tavares (UFRJ)
Lauro Mattei (UFSC)
Leandro Tavares (UFRJ)
Leda Paulani (USP)
Lena Lavinas (UFRJ)
Lenaura de Vasconcelos Costa Lobato (NAP/UFF)
Lenir Santos (FCM/UNICAMP)
Leo Heller (UFMG)
Leyla Gomes Sancho (Instituto de Estudos em Saúde Coletiva da UFRJ).
Letícia Sígolo (LabHab/FAU-USP)
Ligia Bahia (UFRJ/ABRASCO)
Ligia Giovanella (ENSP/FIOCRUZ)
Lucas Andreetta (Unicamp)
Lucia Cortes da Costa – (UEPG – Universidade Estadual de Ponta Grossa- PR)
Luciana Dias de Lima (Ensp/Fiocruz)
Luciana Jaccoud (IPEA)
Lúcia Rodrigues (Rede Brasil Atual)
Luciana Servo (IPEA)
Luciane Luciane Udovic (Grito dos Excluídos/CNBB)
Luís Antônio Cintra (Carta Capital)
Luis Eugenio Portela Fernandes de Souza (UFBA/ABRASCO)
Luiz Fernando de Paula (UFRJ)
Luiz Jorge Werneck Vianna (PUC-RJ)
Luiz Gonzaga Belluzzo (FACAMP)
Luis Nassif (Brasilianas / Dinheiro Vivo)
Magda Biavaschi (CESIT/IE/UNICAMP)
Magda de Lima Lúcio (UNB)
Manuela Piqc (Ecuador, Universidad San Francisco de Quito)
Marcelo Arend (UFSC)
Marcelo Galiza Pereira de Souza (IPEA)
Marcelo Manzano (IE/UNICAMP)
Marcelo Matos (UFRJ)
Marcelo Miterhof (BNDES)
Marcelo W. Proni (UNICAMP)
Marcelo Zero (Senado Federal)
Marcia Pinheiro (Brasil Econômico)
Marcio Pochmann (CESIT/IE-UNICAMP)
Marcio Sotelo Felippe. (Procuradoria Geral do Estado, Advocacia Pública)
Marco Antonio Rocha (IE-UNICAMP)
Marcos Antonio Macedo Cintra (IPEA)
Maria Celina D’Araujo (Departamento de Ciências Sociais, PUC-Rio)
Maria da Conceição Tavares (UFRJ)
Maria de Fátima Guerra (DIEESE)
Maria do Socorro Braga (UNESP)
Maria Fernanda Cardoso de Melo (FACAMP)
Maria Lucia Werneck Viana (UFRJ)
Maria Luiza Rizzotti (Universidade Estadual de Londrina)
Maria Paula Gomes dos Santos (IPEA)
Mariana Fix (IE/UNICAMP)
Mariano Laplane (UNICAMP)
Mariano Macedo (UFPR)
Marilane Oliveira Teixeira (Cesit)
Mario Scheffer (Faculdade de Medicina da USP)
Mario Theodoro (IPEA)
Maryse Farhi (UNICAMP)
Mayra Juruá (CGEE)
Miguel Arroyo (UFMG)

Miguel Bruno (IBGE e UERJ)
Miguel Matteo (IPEA)
Milko Matijascic (IPEA)
Milton Lahuerta (UNESP)
Nazareno Affonso (ANTT/ MDT)
Neiri Bruno Chiacchio (NEPSAS/PUCSP) (em memória)
Nelson Karam (DIEESE)
Nelson Pretto (UFBA)
Nelson Rodrigues dos Santos (Unicamp)
Nilson Alves de Moraes (UFRJ/ PPG-PMUS – Programa de Pós-Graduação em Museologia e Patrimônio)
Nina Madsen (CFEMEA e AMB)
Otavio Velho (Museu Nacional/UFRJ)
Paulo Afonso B. Vaz (UNISINOS)
Paulo Amarante (FIOCRUZ)
Paula Montagner (MDS)
Paulo Arantes (USP)
Paulo César Carbonari (Movimento Nacional de Direitos Humanos)
Paulo Daniel e Silva (Além da Economia e Unicamp)
Paulo Kliass (Especialista em Políticas Públicas e Gestão Governamental)
Paulo Eduardo de Andrade Baltar (CESIT/IE-UNICAMP)
Paulo Henrique de Almeida Rodrigues (IMS/UERJ)
Paulo Paim (Senador da República PT-RGS)
Paulo Pavão (Contafcut)
Paulo Roberto Corbucci (IPEA)
Pedro Cezar Dutra Fonseca (UFRGS)
Pedro Cláudio Cunca (NEPP-DH/UFRJ)
Pedro Luiz Barros Silva (IE/UNICAMP)
Pedro Paulo Zahluth Bastos (IE/UNICAMP)
Pedro Rossi (IE/UNICAMP)
Plinio de Arruda Sampaio Júnior (IE/UNICAMP)
Potyara Pereira (UNB)
Rafael Fagundes Cagnin (Fundap/SP)
Reinaldo Guimarães (ABIFINA)
Raquel Raichelis Degenszajn (PUC-SP)
Regina Hirata (NEPP/UNICAMP)
Renata Lins (UFRJ)
Renato Balbim (IPEA)
Rafael Silva (Unicamp)
Renato S. Maluf (CPDA/UFFRRJ)
Ricardo Bielschowsky (UFRJ)
Ricardo Carneiro (CECON-IE/UNICAMP)
Ricardo Karam (PMSP)
Rita Kallabis (UNICAMP)
Robert Boyer (Institut Des Ameriques/France)
Roberto Henrique Sieczkowski Gonzalez (IPEA)
Roberto Messenberg (IPEA)
Roberto Nogueira (IPEA)
Roberto Véras de Oliveira (Laept/UFPB)
Rodolfo Salm (UFPA)
Rodrigo Pereira de Souza Coelho (NEPP/UNICAMP)
Rodrigo Rodrigues Silveira (Universidade Livre de Berlim)
Rogerio Belda (ANTP)
Rogério Nagamine Costanzi (MPS)
Romualdo Portela de Oliveira (FE/USP)
Ronaldo Garcia (IPEA)
Rosa Freire d’Aguiar Furtado (Centro Celso Furtado)
Rosa Maria Marques (PUC-SP)
Rosa Stein (GESST/UNB)
Rubén Lo Vuolo (CIEPP, Argentina)
Sandra Teixeira (GESST/UNB)
Sandro Pereira Silva (IPEA)
Sara Escorel (ENSP/Fiocruz)
Saturnino Braga (Centro Internacional Celso Furtado para o Desenvolvimento)
Sebastiao Velasco (UNICAMP)
Selma Rocha (FPA/USP)
Sergio Buarque de Holanda Filho (USP)
Sergio Haddad (Ação Educativa)
Sergio Piola (IPEA)
Silvio Caccia Bava (Le Monde Diplomatique Brasil)
Simone Deos (UNICAMP)
Sonia Fleury (EBAPE/FGV)
Sulamis Dain (UFRJ)
Tatiana Silva (IPEA)
Tatiana Wargas de Faria Baptista (Daps/Ensp/Fiocruz)
Theo Godinho Wachendorfer (Freie Universität Berlin)
Thomas Conti (Unicamp)
Tiago Oliveira (IE/UNICAMP)
Vanda Ribeiro (FE/USP)
Vanessa Petrelli (IPEA)
Vicente Rodriguez (FE-UNICAMP)
Vicente Trevas (Prefeitura de São Paulo)
Vilson Romero (SINDIFISCO NACIONAL)
Vinicius Garcia (UNICAMP)
Vladimir Safatle (USP)
Waldeli Melleiro (Fundação Friedrich Ebert)
Waldir Quadros (CESIT/IE-UNICAMP)
Walquiria Leão Rego (IFCH/UNICAMP)
Walter Belik (UNICAMP)
Wanderley Guilherme dos Santos (Fundação Casa de Rui Barbosa)
William Nozaki (Escola de Sociologia e Política de SP)
Wilnês Henrique (IE-UNICAMP)
Wilson Cano (CEDE/UNICAMP)

Anúncios

Deixe seu comentário sobre o texto.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s